SUICÍDIO

Por Paulo Costa, Mais Várzea Alegre • 14/09/2017 às 08:03

SUICÍDIO.

SIM, O MELHOR É FALAR SOBRE.

 

O número de mortes aumentou 34% no Brasil. Ainda assim, o assunto segue silenciado, escondido e pouco discutido. A solução é abrir a boca.

Suicídio ou autocídio (do latim, sui, ou do grego autos: “próprio” e do latim caedere ou cidium: “matar”) é o ato intencional de matar a si mesmo, uma das causas mais comum vem a ser o transtorno mental/psicológico que pode vir a incluir a depressão, esquizofrenia, alcoolismo e abuso de drogas, assim como o transtorno bipolar, não deixando de lado as situações financeiras, e as emocionais que vem a desempenhar um fator emocional completamente significativo para esse sujeito. Afora da consideração funesta do suicídio, há também estimativas positivas, sendo acolhida como um anseio legítimo ou um dever moral.

Por ano, mais de 1 milhão de pessoas cometem o suicídio, tornando-se a 10º maior causa de morte e o BRASIL LEVA O 8º LUGAR NO RANKING MUNDIAL EM SUICIDIO, e umas das principais entre adolescentes e adultos, com idade menor que 35 anos, contudo, ainda existem uma estimativa de 10 a 20 milhões de pessoas que cometem tentativas não fatais em todos os países.

 

Causas e sintomas:

 

·         Mostrar tristeza excessiva e isolamento

·         Sofrer alterações de comportamento ou visual

·         Tratar de assuntos pendentes

·         Demonstrar calma repentina

·         Fazer ameaças de suicídio

·         Frases de alarme

Fique atento:

  • Depressão e drogas
  • Mudanças inesperadas
  • Remoer pensamentos
  • Perdem o sentido da vida
  • Calam-se de repente
  • Níveis altos de ansiedade
  • Choram do nada
  • Dá avisos verbais como –  “ viver não vale a pena”, –  “ não aguento mais essa vida”, –  “não aguento mais essa dor”.
  • Usam falas para se esconder –   “eu estou bem”.

 

Como ajudar alguém com comportamento suicida.

Ao perceber que alguém, seja ele parente ou amigo, venha a estar com pensamentos suicidas, sabe-se que é de extrema importância demonstrar a esse mesmo empatia, atenção, e procurar sempre saber o que está acontecendo e quais os sentimentos associados. Por isso, não se pode ter medo de expressar sentimentos por elas e perguntar o que está acontecendo, se ela quer ajuda, se esta mesma está bem ou não, se necessita de ajuda, se está triste, deprimida e até mesmo se pensa em suicídio.

Depois, deve-se procurar ajuda de um profissional qualificado, como um psicólogo ou psiquiatra, para tentar mostrar à pessoa que existem outras soluções para o seu problema, que não o suicídio.

 

 Uma boa opção é ligar para o Centro de Valorização da Vida, ligando para o número 141, que se encontra disponível 24 horas por dia.

 

 

LIGUE: 141

Centro de Valorização da Vida

Horário: diferente para cada região. Saiba mais (http://www.cvv.org.br/site/telefone.html)

 

 

PAULO COSTA

PSICÓLOGO

CRP: 11/10915.

 

 

Referências:

https://www.tuasaude.com/como-identificar-um-comportamento-suicida/

Sim, o melhor é falar sobre suicídio

https://pt.wikipedia.org/wiki/Suic%C3%ADdio

Comentários